Percebendo as dificuldades na logística da separação do joio do trigo no mundo cervejeiro, o governo alemão criou uma Emenda à Lei de Pureza de 1516, também conhecida como Reinheitsgebot, para facilitar o trabalho dos catadores nas indústrias beneficiadoras de grãos, pois para seguir a Lei da Pureza o trigo deve ser catado à mão.

Conhecida também pelo nome de “cizânia”, a planta – de nome científico Lolium temulentum – é muito parecida com o trigo e é considerada uma erva daninha desse cultivo. A semelhança entre essas duas plantas é tão grande que em algumas regiões ele costuma ser chamado de “falso trigo”.

A mudança na legislação está causando polêmica até aqui no Brasil. Em protesto, representantes de um grupo cervejeiro radical já estão divulgando em seus rótulos que fazem cervejas “seguindo a Lei da Pureza Pura”.

-Só as cervejas produzidas de pura água da montanha, malte de cevada de seis fileiras e inflorescências de lúpulo hidropônico diploide podem ser chamadas de cerveja verdade – afirmou um líder do protesto, que preferiu não ser identificado, e que assim, como a lei, não citou o fermento entre as matérias-primas da bebida.

Anúncios