Entre as gravações do meu seriado The Beer Hunter para a TV inglesa e as gravações dos meus clipes de sucessos mundiais da pop music como Thriller, Beat It e Billie Jean, fui abordado, décadas atrás, por um grupo de colegas especialistas em cervejas para um projeto à frente do seu tempo: um blog de notícias verdadeiras sobre cervejas de mentira, e vice-versa.

Era um projeto tão à frente de seu tempo que, como a internet ainda não havia sido inventada e ninguém sabia o que era um blog, tivemos que esperar pacientemente por mais de 20 anos. Mas enfim, chegou o dia.

O lançamento do Cervejonalista foi, sem sombra de dúvida, um marco – ainda que alguns detratores possam dizer que foi no máximo um marcelo, ou um mário. Nunca antes na história da cerveja tantos bebuns desocupados se reuniram e dedicaram tanto tempo e esforço em prol de uma causa tão subestimada, e tão vital para o ser humano: a zoeira.

tmg-slideshow_xl
Equipe Cervejonalista

Na nossa curta jornada, não pudemos deixar de notar que as reações do público são variadas… mas nem tanto. Por isso, em homenagem a todos aqueles que prestigiaram nossas postagens, segue um compilado dos 5 principais tipos de “leitores” do Cervejonalista.

1 – O CRÉDULO
É fácil reconhecê-lo pelo seu bordão: “Gente, vocês viram isso?” Não dá nem pra gente zoar esse, porque ele é a pedra fundamental do nosso trabalho. É o cara que passa batido pelas dicas óbvias que espalhamos no meio do texto. Sem você, querido leitor crédulo, todo nosso trabalho seria em vão. As pessoas iam simplesmente olhar e dizer, “Ah, tá, ok. Ha ha ha”. Mas graças a você, os nossos posts ganham comentários cada vez mais hilariantes. Por isso, nós agradecemos.

2 – O CRÉDULO RAIVOSO
É uma variação do anterior, só que este é trabalhado no Caps Lock e nos clichês político-econômicos sobre o governo petralha, contra as multinacionais – mas bebe Urquell e Blue Moon de boa e não entende qual a contradição nisso. Também facílimo de reconhecer por frases como: “QUE ABSURDO!!! A CULPA É DE (insira aqui o seu mimimi favorito). Geralmente, sequer leem o post, o que para nós é uma grande falha de caráter, já que os
cliques seriam bem-vindos, mas são involuntariamente divertidos.

3 – O INDECISO
“Gente, é sério isso aqui?”, pergunta o indeciso. É difícil saber se é preguiça que ele tem de jogar no Google para conferir ou se é ingenuidade deixar nas mãos dos trolls da internet a resposta para uma dúvida que… bem, não devia nem existir, mas enfim. Sugestão para os nossos leitores trolls: quando se depararem com este tipo de comentário, confirmem as nossas fake-portagens. Digam que viram em outros sites também, e mandem links quebrados.

4 – O CHATO INDIGNADO
É aquele “Isso não ajuda a causa cervejeira”. Pois é, o chato é aquele cara que implica com as nossas fake-portagens porque acha que existe uma missão divina no ato de fazer cerveja, e que está em uma guerra contra O Sistema. Filhão, entenda… a gente não tá aqui pra ajudar. Nas palavras imortais do filósofo Abelardo Barbosa, o Velho Guerreiro, não viemos pra explicar, viemos para confundir. Chupa essa manga e aceita que dói menos.

5 – O APAZIGUADOR
“Calma, gente, é só um site de zoeira” é a sua marca registrada. O Apaziguador é possivelmente o nosso tipo mais raro de leitor. Primeiro, porque é o cara que realmente lê o post. Segundo, porque entende que é piada. Terceiro, porque, não só, ele leu e entendeu. Quarto, porque ainda por cima ele se dá o trabalho de esclarecer os outros mais lentinhos. You’re the real MVP. Parabéns

Anúncios