O IPA Day parou o meio cervejeiro artesanal brasileiro no último sábado. Apesar de permitirem o reencontro de antigas amizades e a formação de novas amizades e até de pares românticos (foram registrados 153 casamentos e 32 divórcios), as quilométricas filas para pegar cerveja nos estandes azedaram o dia, segundo os mais de 500 participantes furiosos que picharam e depredaram a página da festa no Facebook. Atento à nova “trend”, o organizador Gabriel Mosqueteiro anunciou que, em 2016, o evento passará a se chamar Lambic Day.

-Todo mundo já fez festa em casa chamando 50 pessoas e no fim apareceram apenas 10. Nosso planejamento estratégico teve base nessa experiência. O único porém é que, no nosso caso, convidamos 2 mil pessoas pensando que iam 500, mas as 2 mil foram. Nosso Departamento de Análise de Furadas acredita que o fato de as pessoas terem gastado dinheiro com ingresso, passagem e hospedagem pode estar relacionado ao fato de elas terem realmente comparecido – afirmou o empreendedor.

Em comunicado, Mosqueteiro admitiu problemas, e avisou que a organização já está organizando as filas para a próxima edição, nas quais os clientes insatisfeitos poderão registrar suas reclamações.

-Sabemos que imprevistos acontecem, mas frequentadores disseram que a festa ficou incrível depois que todos foram embora – analisou ele.

Para firmar o novo nome, o Lambic Day contará com uma cerveja colaborativa entre o Oráculo e a Hemmer, que até então só fornecia os copos de geleia do evento. A receita, que antes da alteração do nome do festival seria uma Double FILA IPA, agora será uma Double FILA Sour.

-As azeitonas continuarão na receita, pois agora além de harmonizarem com o copo, harmonizam também com o caráter azedo da Lambic – afirmou o diretor executivo da Hemmer, Reginaldo Azevedo.

O lançamento contará também com a técnica inovadora de Dry Waiting, que consiste na adição de “esperando a seco”.

NOTA DA EDIÇÃO: Procurado pela redação do Cervejonalista, o sócio da Escola de Inteligência Inteligente e Sapiente da Cerveja, José Backer afirmou que está na Nova Zelandia num torneio de rugby e não tem conhecimento dos fatos, mas que tem certeza que seus eventos são os melhores do universo e que sua função na vida é fazer história na cerveja brasileira.

Anúncios