Após confirmada a transação entre as gigantes AB-InBev e SABMiller, consumidores das craft beers já demonstram mudanças de comportamento. Surpresos ao saberem que a Pilsner Urquell pertence à Miller, propuseram um repentino boicote à marca, que desde então vem tendo sua qualidade questionada.

-Preciso de um tempo para digerir essa informação. Realmente eu não sabia que a Pilsner Urquell pertencia ao portfólio da SABMiller, e sempre postei fotos dela no instagran com a legenda #bebadopequeno. Só fiquei sabendo quando conferi a lista de cervejarias que passariam para as mãos da AB-InBev após o desfecho da transação – explicou o Sommelier de Feicibuqui Cornélio, reclamando por ser sempre o último a saber.

Procurado pela equipe do Cervejonalista, o BOBO (Bebedores Ostentação de Brejas Ostentáveis) foi incisivo em sua colocação.

-O próximo passo será qual? Litrão de Pilsner Urquell por cinco reais na rodoviária? – desabafou Eli Techata, presidente da organização.

Alguns, mais tomados pela emoção, exigem que a cervejaria substitua o nome “Pilsner” no rótulo por Standard American Lager, alegando questões de respeito à tradição do estilo.

Anúncios