O que parecia apenas uma combinação gastronômica inusitada terminou em tragédia no Aquífero Guarani. O sommelier de cervejas Clarimundo Armadilha testou uma inovação em suas degustações, e foi uma mistura fatal. Após três pratos de feijoada com paio, lombo, pé de porco, rabinho, torresmo, farofa de bacon, laranja e dois copos cheios de Frankistaner, ele explodiu.

Donna Ruth, vizinha da residência, que assistia TV a poucos metros do acontecido, foi a primeira a chegar no local.

-Eu estava vendo uns homens sarados no Caldeirão do Muque, quando de repente ouvi um barulho ensurdecedor. Corri e logo que cheguei vi pedaços de porco e fermento por tudo que é lado. Foi assustador.

O especialista em digestão cervejeira, Azi Abraba, estuda o caso inédito:

-Realmente, nunca antes na história deste país alguém tinha feito essa harmonização estapafúrdia. O feijão e o porco entraram em contato com doses cavalares de proteína do trigo e de leveduras, o que reativou o fermento. O processo de fermentação, como todos sabemos, precisa do airlock para acontecer. Como não havia este escape, a pressão chegou rapidamente a um nível exorbitante e aconteceu a explosão.

Aproveitando o incidente, Azi adverte para outros perigos da combinação de cervejas e comidas.

-Devemos seriamente evitar harmonizar lambic com acarajé de rua. Estudos científicos comprovam que mocotó com barleywine pode gerar falência instantânea do fígado.

Anúncios