A busca por uma cerveja genuinamente nacional se mostrou a preocupação dos criadores do Concurso Brasileiro de Cervejas. Depois de instituir a categoria Cerveja Brasileira, os organizadores criam premiação inovadora buscando agregar ainda mais o meio cervejeiro, tão desunido depois da era das redes sociais. Fernanda Reinheitsgebot Escrito Errado, diretora técnica do concurso, explica a novidade:

-Decidimos, também, premiar a lager nacional com mais diacetil. Esta já é uma briga diária de várias cervejarias artesanais brasileiras, e decidimos levar essa competição para o palco maior. Em Blumenau, apresentaremos qual a cerveja com mais aroma de manteiga do Brasil.

Luis Dias Cetil, líder da bancada amenteigada no Congresso, comemora que sua proposta tenha sido levada à frente e ressalta que o concurso está em total sinergia com o desenvolvimento do cenário no país.

-Temos que adequar o BJCP à realidade nacional. Temos peculiaridades, e isso precisa aparecer também nos critérios de criação de estilos de cerveja em concurso. Nosso trabalho, junto com a Ana Gorete, chefe do DMS (Departamento Mais Sommelier) está agregando muito valor à cultura cerveja brasileira.

Fernanda Reinheitsgebot Escrito Errado comunicou que este prêmio contará com uma banca especializada em pilsen, formada pelos jurados da Revista Prazeres da Mesa. A briga pela manteiga de ouro promete ser quente!

Anúncios