Confusões marcaram o carnaval de Salvador e do Rio de Janeiro, e isso porque ambulantes colocaram rótulos das cervejas oficiais do carnaval das duas cidades (Schin e Antárctica, respectivamente) em garrafas que na verdade continham Skol e Brahma. Como resposta ao esquema, a PM (Puliça Mamada) do Rio de Janeiro vai receber verba do DMS (Departamento Mais Sommelier), com o objetivo de treinar seus policiais para realizarem o teste cego no carnaval 2017, garantindo a exclusividade da cerveja oficial.

Segundo o camelô carioca Wellerson Engananu Geraldo, o esquema foi bastante facilitado pelo fato dos foliões não perceberem a diferença entre as cervejas em questão. A PM da Bahia anunciou que fará o mesmo treinamento, porém só depois do carnaval de 2016, que lá só acaba pelos meados de outubro, quando sai o último Trigo Elétrico da Vedett Gargalo.

Em coletiva de imprensa, o Secretário de Segurança do Rio de Janeiro, Joseph Clariano Beltramoney (que é primo do Çommeliê Murilo Beltramoney), explicou detalhes do projeto.

-Nossos puliças vão treinar teste cego no ICB (Instituto Criminalista da Breja). Um corpo docente composto por vinte e oito Çommeliêrs vai tentar explicar a diferença entre as cervejas trocadas pelos ambulantes. Como estamos enfrentando resistência do nosso efetivo, que alega ser sub-humano ter que avaliar as diferenças entre Skol, Brahma, Antárctica e Schin, decidimos que serão enviados para o curso, e escolhidos para a operação especial no carnaval 2017, apenas os que respondem a inquérito administrativo, ou seja, cerca de 89% da corporação. Será um desafio, e arrisco afirmar que para a PM do Rio de Janeiro é mais difícil diferenciar Skol de Antárctica do que bandido de inocente – afirmou o secretário, que aproveitou a ocasião para divulgar o novo kit usado pela PM: cassetete, revólver, algemas, arma de choque, taça iso e spray de pimenta composto pela Ballast Point Sculpin Habanero com gushing.

Anúncios