A prefeitura do Rio de Janeiro anunciou hoje um pacote de medidas que visa aumentar a receita do município, aliviando os efeitos da crise. A que se destacou foi a criação de uma cerveja orgânica feita com água das enchentes que acontecem durante as chuvas que afetam a cidade. No entanto a implementação do pacote ainda depende da chegada da chuva, uma vez que frente fria já chegou na cidade, mas a chuva, como todo carioca, diz que já tá chegando.

-Sem dúvidas é o meu maior desafio enquanto prefeito. Percebemos que a área da Grande Tijuca é a que concentra o maior número de cervejeiros caseiros, e coincidentemente também é a área da cidade que mais sofre com as enchentes. Sendo assim, decidimos terceirizar o serviço desses cervejeiros, montando uma parceria público-privada. Para seguir os trâmites normais da nossa política, os contratos são sem licitação, e as cervejas caseiras serão indevidamente comercializadas -afirmou Edinardo Saaz, prefeito da cidade maravilhosa.

O cervejeiro caseiro Odair Brecht foi o primeiro contemplado pela série de contratos da prefeitura e falou sobre seus planos ao Cervejonalista.

-Farei um clone da Heineken, e isso será bastante facilitado pelo aroma natural da água de enchente, além de que, com o frio polar que faz na cidade, certamente poderei fermentar essa lager em temperatura ambiente. Pensei em deixar os baldes na janela do meu quarto para fermentar no sereno, mas mesmo sendo no décimo segundo andar, sei que podem roubar. Essa é a ideia da cerveja orgânica caseira: ser natural e com improviso! Depois farei uma Lambic experimental com água de chuva ácida captada pelo piscinão da Praça da Bandeira, que, numa ação sustentável, será o tanque aberto de fermentação. Só orientei ao prefeito que não beba demais, porque fiquei sabendo que ele não sabe se planejar para ressaca – afirmou animado.

Anúncios