Desenvolvido pelo gabinete do deputado federal pastor Marcio Feliciamber (PSC – Partido Supressor de Cerveja) , o PL 420 determina que não se possa plantar lúpulo no Brasil por seu grau de parentesco com a maconha. A bancada acética da Câmara, liderada por Edivaldo Cucunha, deve apoiar a iniciativa. O movimento dos deputados é uma resposta à reportagem do Globo Rural sobre as primeiras plantações de lúpulo brasileiras. Feliciamber comenta os motivos da sua investida:

-Estou profundamente revoltado com a mídia esquerdista que trabalha o tempo todo para desmembrar a tradicional família cristã brasileira.  Crianças assistiam à Globo, de manhã, antes da Escola Dominical, e viram a apologia ao álcool e também estímulo à plantação dessa erva do capeta, que é da família da maconha, em nosso solo. Todos sabem que o lúpulo vicia e é a porta de entrada para outras bebidas mais pesadas, como o hidromel. Isso sem falar na libertinagem e promiscuidade que o consumo dessas bebidas proporciona – afirmou o Deputado enquanto retocava o gel do cabelo diante de um espelho estilo camarim que ostenta em seu gabinete.

A Associação Brasileira de Biroscas, Ostentação e Cervejas Artesanais (ABRABOCA), presidida por George Gritz de Milho, promete fazer campanha contra.

-O lúpulo nacional é a maior esperança para o crescimento do nosso mercado. É o que falta para proclamarmos a tão sonhada Escola Cervejeira Brasileira. Vamos buscar apoio da Bancada Amanteigada, e parece que já está surgindo uma Frente Isovalérico no Congresso. Isso não vai ficar assim não – desafiou.

Anúncios