Futebol e cerveja sempre andaram juntos, porém nunca desta forma. A Brasil Kirin, após baixo resultado, resolveu mudar sua estratégia, rebaixando a Eisenbahn da categoria Artesanal para a Premium. Os diretores da marca catarinense já se movimentaram, e em breve poderemos ter uma virada de mesa, com a entrada do Advogado do Fluminense no caso. O criador da marca, Salviano Mendes, já entrou com recurso no STF (Superior Tribunal da Fermentada).

-É um trabalho de mais de uma década. O professor fez um bom trabalho, o time de funcionários se dedicou, mas infelizmente os resultados não vieram este ano. O risco do rebaixamento está aí, mas nós vamos lutar a até o fim para continuar produzindo nossas cervejas puro malte, mesmo as de estilo belga – explicou.

O advogado, Mário Apracur, primo do autor do blog Embromah, já trabalha no caso, e prevê desfecho semelhante ao do futebol, quando a sua ação livrou o Flamengo, e não o próprio Fluminense.

-Na verdade, o que vai acontecer é que salvarei outra marca, a Bebassa, que iria para o limbo cervejeiro. Temos base jurídica para questionar este rebaixamento. Em uma das produções da Cintra foi escalado um ingrediente errado na receita, o malte de cevada, o que faria com que ela subisse de categoria. Com isso, toda a cadeia deve ser colocada para cima, e conseqüentemente a Eisenbahn volta ao posto artesanal de onde nunca deveria ter saído – revelou.

Anúncios