A Bancada Evangélica encaminhou para o MEC (Ministério da Extensão Cervejeira), na última semana, a PL (Projeto Lager) Escola Cervejeira Sem Partido. De autoria do senador Magnum Malte, o projeto visa atuar diretamente nos cursos que formam çommeliêrs em todo o Brasil, de forma a evitar que professores doutrinem seus alunos. O ator Alexandre Frota, que milita pela causa e esteve no MEC debatendo o projeto, falou ao Cervejonalista sobre as preocupações manifestadas pela PL.

-Hoje o que vemos é uma total desmoralização. Entendeu? Pô, em tudo que é lugar hoje tem curso pra Çommeliê, e esses professores doutrinam as pessoas! Nosso projeto propõe que ensine sobre cerveja sem manifestar opiniões sobre escolas cervejeiras. Hoje cidadãos adentram esses cursos  como pessoas normais, e saem de lá botando “American” na frente de qualquer estilo! Outro dia me apareceu até uma American Gruit. Pô, isso é vacilo! Tive que meter a porrada no cara! -afirmou Frota.

O autor da PL, Magnum Malte, também falou com o Cervejonalista.

-As ideologias estão presentes a todo momento. Por exemplo, temos a idolatria ao Duque Guilherme IV da Baviera, e sabemos que a Alemanha já foi comunista! Sobre o estilo Russian Imperial Stout, protestamos por ensinarem o Russian, numa clara referência à URSS! Sem contar que harmoniza com doces, sendo que crianças gostam de doces, e comunista come criancinha. Também precisamos punir esses professores que falam da craft revolution. Esse negócio de “revolution” é muito Che Guevara! Precisamos de neutralidade, inclusive nos sabores. Não queremos mais essa coisa de cerveja com personalidade. Nada que influencie na percepção dos alunos. Absolutamente nada! – afirmou nervoso.

Anúncios